sexta-feira, 10 de maio de 2013

Tecnologia Verde


Novo modelo de carro elétrico chega a 249 km/h
26 de Abril de 2013 • Atualizado às 13h41
<p>
 Segundo a corporação, eles desenvolveram o modelo elétrico mais rápido do mercado. | Foto: Divulgação</p>
Segundo a corporação, eles desenvolveram o modelo elétrico mais rápido do mercado. | Foto: Divulgação
<p>
 O carro esportivo batizado de SP:01 acelera de 0 a 100 km/h em 3,7 segundos com velocidade máxima de 249 km/h. | Foto: Divulgação</p>
<p>
 A marca pretende produzir 2.500 unidades ao ano. | Foto: Divulgação</p>
A Detroit Electric Cars é uma nova marca norte-americana que chegou ao mercado com uma novidade interessante para a série de carros “verdes”. Segundo a corporação, eles desenvolveram o modelo elétrico mais rápido do mercado.
O carro esportivo batizado de SP:01 acelera de 0 a 100 km/h em 3,7 segundos com velocidade máxima de 249 km/h, o mais rápido do segmento. O modelo foi apresentado no início do mês.
Na montagem do carro, a fabricante cobriu os chassis da Lotus com fibra de carbono. Dessa forma, o peso ficou em 1.070 kg, que são puxados por um motor elétrico de 150 kW (cerca de 203 cavalos) de potência, com 22,9 kgfm de torque.
A transmissão é feita manualmente e possui quatro velocidades com opção de cinco marchas. Outro recurso é um câmbio automático de duas velocidades. A suspensão é independente nas quatro rodas, de maneira que pode receber o peso extra da bateria de 37 kWh.
Já nos itens de segurança, há freios ABS com controle de estabilidade (ESP), sistema que recarrega a bateria com a energia da frenagem e garantia de 48 mil quilômetros.
Além dessas características, o automóvel ainda possui um sistema com smartphone integrado. Através dele, o motorista pode controlar as preferências no carro, o som e fazer ligações.
A marca pretende produzir 2.500 unidades ao ano, começando a partir de agosto. O modelo tem preço estimado em US$ 135 mil (cerca de R$ 270 mil). Além do SP:01, há planos de lançar um hatch e um sedã elétricos também. Com informações do Auto Esporte.
Redação CicloVivo

O Fim do Omega Suprema

Em 1996 foi decretado o fim da perua Suprema. O Brasil ficou sem um veículo familiar na categoria. Com a chegada do utilitário Blazer, as próprias concessionárias pediram o fim da perua com medo da tão temida “canibalização”, mesmo sendo veículos de categorias distintas.

Em 1997 o volante diminuía de tamanho e a qualidade do acabamento também. A versão mais barata, GLS (a GL não fez sucesso), perdia itens de conforto e conveniência em prol do corte nos custos.

A produção do Chevrolet Omega, marco tecnológico da indústria brasileira, foi encerrada no ano de 1998 no Brasil. Seu sucessor vem da Austrália: trata-se do Holden Comodore, mais caro e que deve ganhar uma nova geração ainda em 2007. Ainda assim, para muitos entusiastas, não houve um substituto a altura para o Omega nacional.



Fonte: Wikipedia
Data: 17/10/2007